Decoração afetiva: quando a casa representa você e suas lembranças

Decoração afetiva: quando a casa representa você e suas lembranças

Trazer elementos que despertem sensações positivas e boas lembranças é fundamental

 

De modo geral, a casa ou apartamento em que vivemos é o lugar onde ficamos por mais tempo. E não é à toa, já que este é o espaço onde podemos fazer diversas atividades, desde dormir no conforto da nossa cama até reunir a família e os amigos à mesa para um almoço.

 

O fato é que o lugar onde vivemos tem um forte impacto no aspecto emocional. É nesse sentido que surge a chamada decoração afetiva, uma forma de refletir nossas memórias na ornamentação dos ambientes — seja usando uma tinta acetinada com a mesma cor da casa da sua avó ou expondo fotografias na rack da sala.

 

Existem diferentes formas de trazer a nossa afetividade para dentro do nosso lar e é exatamente sobre isso que vamos falar hoje. Resgatar memórias, deixar os espaços preenchidos de amor e, de quebra, restaurar elementos que estavam guardados há muito tempo. Tudo isso faz parte da decoração afetiva. Confira!

 

A importância da decoração afetiva

Nos últimos anos, a sociedade contemporânea sofreu um grande baque com a chegada da pandemia do novo coronavírus. A partir de 2020, o mundo deixou de ser o mesmo e passamos a ficar muito mais tempo em casa — resultado das medidas sanitárias preventivas.

 

A presença desse vírus tão letal fez com que nossos hábitos e comportamentos fossem completamente alterados e, ficou ainda mais claro, que a nossa casa é, de fato, o nosso porto seguro. O lugar onde temos segurança e onde podemos nos refugiar (tanto do ponto de vista físico, quanto emocional).

 

Ter clareza quanto a isso faz com que a chamada decoração afetiva ganhe outra importância na vida das pessoas. Sendo a casa o nosso lar, é preciso que ela seja composta por elementos significativos, que despertam bons sentimentos e nos oferecem bem-estar, mesmo durante as tribulações.

 

A decoração afetiva é, portanto, transformar o lugar onde vivemos naquilo que nos faz bem e que nos reconecta com o que somos e do que amamos, com as nossas lembranças mais significativas e prazerosas. E fazer isso é mais simples do que parece. Veja algumas dicas a seguir.

 

Tire as memórias do baú

As fotografias são os elementos que melhor representam a passagem do tempo e os momentos vividos por nós e aqueles que tanto amamos. Então, por que não trazê-las para a decoração da casa? Porta-retratos expostos em estantes, um varal suspenso ou mesmo um mural com fotos fazem toda a diferença.

 

E não apenas fotografias podem ser usadas nesse sentido. Você pode trazer algum móvel ou objeto antigo e esquecido, dando-lhe uma nova utilidade. Uma máquina de costura inutilizada pode virar um apoio para colocar flores e uma máquina de escrever pode ser pintada e dar uma nova cara à sala de estar.

 

Restaure objetos e móveis

Além de usar de um modo totalmente diferente esses itens até então esquecidos, você pode também restaurá-los. Dessa forma, você ajuda o meio ambiente ao dar uma nova vida a objetos que seriam jogados no lixo, e consegue resgatar elementos que são importantes para você.

 

Em móveis como sofás e poltronas é preciso conferir o estado das peças cuidadosamente, verificando a presença ou não de cupim e se os apoios têm boa sustentação. Por isso, é interessante, se possível, contratar um serviço especializado em restauração.

 

Traga plantas e cores para sua casa

Outra estratégia bem bacana para trazer mais afetividade ao seu lar é colocar plantas em seu interior. Elas nos permitem uma maior conexão com a natureza, além de deixarem o ambiente mais leve e harmonioso.

 

O uso de cores é outra dica, mas vale considerar a personalidade de cada morador e o tipo de ambiente. Se você tem medo de arriscar e enjoar de uma parede colorida, a solução é deixar os tons mais fortes a cargo dos objetos decorativos e móveis.

Recommended For You

About the Author: Alessandra